topo

CIDADE DE QUELUZ - AS RAÍZES DO FUTURO

cidadedequeluzCoordenação: Núcleo de Arquivo e Documentação da C. M. Sintra
EDIÇÃO: C.M. Sintra, 2001
• Brochado
• Com ilustrações
• 158 Páginas
P.V.P.: 10,00 €
Impressão Gráfica: Europam, Lda.
ISBN 972-8209-09-X
D.L.: 173308/01


Cidade de Queluz – As raízes do Futuro. Monografia publicada pela Câmara Municipal de Sintra em 2001, divulgando e ilustrando a riqueza do património histórico e antropológico regional de Queluz com as suas tradições culturais, desportivas, recreativas, sociais (como o seu topónimo árabe Qa’AI-Luz – “Vale da Amendoeira”), foi elevada à categoria de Freguesia em 1925, a Vila em 1961 e a Cidade em 1997 (primeira do Concelho de Sintra), integrando as três Freguesias de Queluz, Massamá e Monte Abraão, com uma população de cerca de 80 000 habitantes. Destaca-se o emblemático Palácio Nacional de Queluz (considerado o “Versalhes Português” e uma das principais jóias arquitectónicas de Portugal), uma das mais importantes e sumptuosas residências régias em todo o Reino, mandado reedificar por D. Pedro III, filho de D. João V, sob a execução do projecto inicial pelo Arquitecto português Mateus Vicente de Oliveira desde 1747, e entregue depois do terramoto de 1755 ao Arquitecto e escultor francês João Baptista Robillon; bem como o seu dinamismo sócio-cultural, desportivo e militar como lugar memorial de importantes figuras nacionais relevantes no desenvolvimento sintrense, como Consigliéri Pedroso, José Stuart Carvalhais, Padre Alberto Neto, Ruy Belo, Mário Pinto.